terça-feira, 5 de junho de 2012

Relato de um dia de trabalho em nossa assessoria esportiva


Relato de um dia de trabalho em nossa assessoria esportiva

Nossos clientes ao chegar é abordado pelos nossos professores, onde perguntamos como anda os seus treinos e como ele esta se sentindo naquele momento que antecede ao treino. ( fig. 1 ) Ao identificar que esta tudo bem e sobe controle com aquele aluno , iniciamos com uma sessão de alongamentos geral e específicos para corrida, ( fig 2 ) logo após essa etapa , vamos ver que tipo de treino esta programado para ele naquele dia , pois os treinos são individualizados e monitorados pela freqüência cardíaca de treino específico do aluno.
Confirmado e tirados as duvidas sobre o treino,  o aluno devera realizar um caminhada  de 10 minutos ou 1 km  pra melhor  aquecimento das estruturas articulares e musculares.  Depois desses pré-requisitos obrigatórios  o aluno começará seu treino específico de corrida ou caminhada .  ( fig 3 )
Terminado o treino aeróbio os alunos irão realizar exercícios funcionais globais e específicos com objetivos de melhorar a qualidade de vida e seu rendimento na corrida, diminuindo a probabilidade de lesões.  ( fig.4 )
No final de todo o programa de treinamento do aluno naquele dia, será realizado uma alongamento individualizado . ( fig 5 )
E finalizando os trabalhos de um dia de nossa assessoria esportiva,  como acontece todas as vezes a parte de socialização, onde os alunos se conhecem, trocam experiências  esportivas, sociais e profissionais.(fig 6 )
 



 

segunda-feira, 4 de junho de 2012

DÊ MAIS ATENÇÃO A SUA COLUNA



MATÉRIA PARA O JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO

ACADEMIA AO AR LIVRE

MATÉRIA PARA O JORNAL DO COMÉRCIO

Academia ao ar livre garante bons lucros

Nova modalidade de exercícios tira os alunos das academias e leva para praticar exercícios ao ar livre

Publicado em 21/04/2012, às 21h40

Do JC Online

 / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Abandonar as quatro paredes das academias de ginástica faz bem para a saúde. E para o bolso. Dos alunos e dos profissionais de educação física. Ganha força no Recife a prática de exercícios ao ar livre supervisionados por personais, que faturam mais, cobrando uma mensalidade menor. O Parque da Jaqueira, na Zona Norte, e a orla da Praia de Boa Viagem, na Zona Sul, são os redutos dessa nova modalidade na capital.

Há cerca de três anos, Jailton Santos retornou de uma viagem à São Paulo determinado a pôr em prática no Recife o que já era realidade no Sudeste. Com 20 anos de experiência em educação física, começou a treinar pessoas interessadas em praticar corrida. Escolheu o Parque da Jaqueira como local das aulas. O grupo rapidamente cresceu e, além do chamado running, Jailton passou a oferecer treinamentos funcionais – focados na qualidade de vida.
“Hoje tenho cerca de 70 alunos, divididos em dois grupos, na Jaqueira e em Boa Viagem. A mensalidade é R$ 90.

Se eles fossem procurar um personal trainer convencional pagariam R$ 40 a R$ 45 por hora-aula. Se multiplicar por três vezes por semana, custaria R$ 480. Em uma academia, pagariam R$ 140 por mês. Já para mim o negócio se mostrou rentável, pois ganho em escala. Ocupo a mesma hora do meu tempo treinando um grupo maior”, explica Santos, que montou seu pequeno negócio batizado de Running Assessoria Esportiva.

Nas areias de Boa Viagem, na altura do 2º Jardim, o educador físico Milton Pinto Neto – carioca, há três anos residindo no Recife – tem na sua lista de clientes 10 pessoas. Se um se afasta, rapidamente outro ocupa o lugar no grupo. O degrau de uma das estruturas da Academia das Cidades do local, a sombra de um coqueiro, um pedaço de parede. Tudo é utilizado nos exercícios, que mesclam conceitos de pilates, treinamento funcional, aeróbica e preparação para corridas. O alongamento, muitas vezes, é feito de frente para o mar.

A conta vantajosa é praticamente a mesma. Mensalidades ao ar livre: R$ 80. Custo de treino convencional com personal, R$ 240 ao mês. “No Rio de Janeiro já é uma realidade. A diferença no Recife é que há um limitador de horário. Após às 9h fica difícil se exercitar, por conta do sol forte. E faltam equipamentos públicos melhor estruturados. Mas é um mercado que cresce e vai crescer muito aqui”, pontua Neto.

A artista plástica Maria do Carmo Valença é uma das clientes de Milton. “Já fui de passar quatro horas em uma academia. Há quatro meses optei pelo treino ao ar livre. Aqui a gente desopila e vê resultados”, resume.